Conteúdos

Premiação anual valoriza suinocultores e incentiva melhoria de resultados

26 de Abril de 2022

Valorização e reconhecimento, com foco na melhoria de resultados. Esse é o principal objetivo da competição anual promovida pelo RPF Group entre os produtores de suínos integrados à empresa na região de Toledo, no Oeste do Paraná.

Há três anos o grupo – que é quarto maior produtor de proteína suína do Paraná – vem premiando os criadores que se destacam pelo cuidado e atenção a importantes indicadores de desempenho na produção suinícola. A premiação dos melhores de 2021 foi realizada em fevereiro e contemplou as três granjas que obtiveram os resultados mais significativos no ano, nas categorias Creche, Unidades Produtoras de Leitões (UPLs) e Terminação. Cada vencedor recebeu um kit churrasco completo.

Para mensurar os resultados de cada granja integrada o RPF Group utilizou o Índice de Eficiência Produtiva (IEP), que reúne os principais indicadores zootécnicos em um único cálculo (conversão alimentar, dias alojados, ganho de peso diário, número de leitões desmamados e percentual de mortalidade).



Premiados

Na categoria Creche os destaques foram as granjas Mohr, com IEP de 321,86; Passionato, com 316,24; e Bedin 1 com 313,42. Na Terminação os melhores desempenhos foram das granjas Terezinha com IEP de 435,95; Sanga Perdida com 428,90; e Niedermeyer, com 418,39. Já na categoria Unidades Produtoras de Leitões, o índice avaliado é o LEFA (Leitões Desmamados por Fêmea ao Ano). Neste requisito saíram vencedoras as granjas Bressan 01, com LEFA de 33,23; Bressan 02, com 32,68 e MMKS 32,35.



Maior competitividade entre produtores

De acordo com Daniel Meltz, gerente de Fomento e Integração do RPF, da unidade Toledo (PR), ano após ano a competitividade aumenta entre os produtores. “O prêmio anual tem incentivado nossos integrados a buscarem resultados cada vez melhores. O que é muito bom para empresa e também para os produtores, já que a evolução na performance impacta também no resultado financeiro do criador”, considera.

Ao longo do ano a empresa divulga prévias dos resultados para que os produtores saibam como estão na colocação geral e busquem soluções que possam aprimorar seus resultados. Meltz diz que dessa forma a evolução é contínua todos os anos. Um exemplo, segundo ele, é o indicador DFA (desmamados/fêmea/ano), que em 2019 era de 31,42 leitões desmamados por fêmea a cada ano. Já no ano passado esse número chegou a 33,23, o que significa quase dois leitões a mais por fêmea no ano.



Amor e compromisso

Um dos premiados foi o produtor Alaor Bressan. A granja conta com mão de obra familiar e é sua principal fonte de renda. Apesar disso, seu Alaor destaca que os melhores resultados não são atingidos por meio de técnicas ou por interesse financeiro. “Estou nesta atividade há 40 anos. Herdei esse trabalho do meu pai e passei para os meus filhos. Então se trata, em primeiro lugar, de você gostar do que você faz. O diferencial é trabalhar com amor, carinho e dedicação. É assim que trabalhamos, de manhã até à noite, sempre acompanhando de perto a produção, os números e o desempenho do plantel. Sabemos que é uma missão difícil, mas estamos antenados para melhorar sempre”, conta ele.

O produtor considera que na suinocultura não basta apenas ter um bom desempenho na granja, é preciso também ter boas parcerias da “porteira para fora”. “Esse negócio tem duas pontas: da porteira para dentro e da porteira para fora. Então fazemos o nosso melhor na granja e sabemos que na outra ponta tem uma empresa confiável, preocupada também com o produtor e com o consumidor final, que terá um produto de qualidade”.

Trabalhando há cinco anos em parceria com o RPF Group, seu Alaor aprova a iniciativa da empresa em premiar seus integrados. “O prêmio incentiva o produtor a buscar melhorias e superar resultados. E não tem como não falar em resultados porque o agronegócio, assim como qualquer segmento, sobrevive de resultados. Não é fácil bater metas, mas a gente tem que correr atrás”, opina.

Destaque pelo segundo ano consecutivo, a granja Mohr, foi outra premiada. “Ficamos muito felizes com essa nova premiação, principalmente pelo reconhecimento do RPF Group diante do nosso trabalho. É importante reconhecer o esforço do suinocultor para a produção de alimentos e geração de renda”, defende a produtora Anelori Mohr.

Assim como na propriedade de Alaor Bressan, na granja da família Mohr o trabalho é baseado na dedicação e comprometimento com os resultados. O engajamento visa buscar melhorias a cada lote, com atenção constante em cada animal, e não somente no todo. “Estamos sempre atentos a tudo que acontece na granja, monitorando dados e buscando soluções junto à equipe técnica da RPF”, explica dona Anelori.



Fonte: O Presente Rural


Premiação anual valoriza suinocultores e incentiva melhoria de resultados